quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Casa de "VÓ"!


A casa de meus pais era o ponto de encontro da família, principalmente em comemorações, fossem elas quais fossem, até que a minha mãe perdesse a saúde, fato que transformou todo este clima de alegria em treze anos de tristeza pelo sofrimento que dela tomou conta até à sua morte. Éramos três irmãos e meu pai, a partir daí. Não era mais a mesma coisa. Mais velha dos irmãos - eu tinha então dezoito anos - e única mulher, dois anos depois casei. Com o nascimento de meus dois filhos e o casamento dos meus dois irmãos, a família cresceu e foi, aos poucos, retomando aquele clima festivo, tomando como parâmetro os tempos bons vividos sob a condução da D. Lourdes. Como os meus irmãos moravam fora do estado e meu pai passou a morar com a minha avó numa casa menor, a minha casa passou a ser a casa da "Vó" que acolhia a todos com a alegria de quem já detém uma "sabedoria" pelo tempo já vivido (o que não era o caso). Lembro-me com saudades das festas juninas e época de Natal, a excitação das crianças, juntas dia e noite, a casa bagunçada sem que isso incomodasse quem quer que fosse. À noite, os colchões eram espalhados pela sala - para elas era o melhor momento - para a dormida. Ninguém queria dormir em quarto. Só no chão e juntas. Quando estavam todas as crianças, eram em número de nove. Ao relembrar, tudo isso me emociona. Quanto prazer em tê-los na minha casa, todos juntos. Naturalmente, à medida que o tempo passou, deixaram de ser crianças e os interesses passaram a ser outros, os compromissos também. Hoje, adultos, constituíram famílias também, o que divide um pouco a presença nos eventos. Torna-se complicado conseguir juntar todos na casa da "VÓ". Mas, com certeza, a boa lembrança os acompanha, porque os meus filhos vez por outra, trazem à tona esta saudade e procuro manter viva esta lembrança falando para o meu netinho (sete anos) da importância e do valor destes contatos, encontros, dentro da família. Muita saudade!

Lygia Prudente

9 comentários:

Vivian disse...

...você me fez voltar aos tempos
em que muitos natais, muitas festas
eram comemorados na casa da vovó.

tempos em que eramos felizes
e não sabiamos.

risos, cantorias, cheiro de café
no bule, bolo de fubá fresquinho,
mesa farta, e muito amor...

velhos tempos...velhos dias.

hj se comemora via celular...

triste realidade.

bjus

tesco disse...

É muito bom quando essa reunião familiar é ditada pelo sentimento como priorisade. As reuniões que apenas cumprem formalidades e aparências são de pouco valor. Mas não se pode desprezar reuniões virtuais hoje em dia, nem tudo corre como a gente quer. "O importante é que nossa emoção sobreviva", como dizia Vinícius. Um Feliz Ano Novo, Lygia, pra você e sua família. "Que tudo se realize..." _ Beijos.

lpzinho disse...

Puxa Lygia que coisas bonitas de se ler e confesso que à medida que fui "assistindo" seu texto, fui me lembrando tb de natais passados, da casa do avô(não conheci minhas avós nem o avô paterno)...
Tive pouco contato com este avô, pq era mto pequeno(epa... pequeno eu ainda sou, quis dizer jovenzinho heheh)...
De toda forma o pouco contato ficou marcado na memória e é sempre bom demais lembrar disso td, das nossas vivências, experiências e passagens não é?
Mto bom mesmo o seu post.. obrigado por partilhar esta magia toda!
Um grande e feliz ano novo pra vc e mta luz para a tua caminhada!
Beijos!!

tesco disse...

O sortesco 03 já foi postado e aguarda sua inscrição. _Beijos.

Guilherme disse...

Muito bom mãe !!!! Tenho muitas saudades desse tempo e me esforço para manter vivas as lembranças desse tempo maravilhoso.
Hoje, longe de casa (moro no estado de SP),busco promover com amigos e parte da nossa família (parentes da minha esposa) os mesmos encontros para, pelo menos, manter parte dessa essência.

Beijos, amo vocês.

Sacha disse...

Tia Ligya,
Toda casa de Vó tem este clima e este delicioso tempero...
Tenho e sinto muita falta dos meus, pois não estão neste plano... Entretanto presenciei e tive ótimas lembranças de sua casa, seu Armando sempre lendo ou ensinando algo a Guilherme, (que na época era muito cabeça dura)e a nós também, ajudei a bagunçar sua casa inúmeras vezes e hoje, posso dizer que realmente tivemos infância! que realmente fomos felizes! e que hoje somos pessoas que tem boas lembranças e muitas histórias a contar...
Beijos a todos, feliz ano novo e vez por outra estou aqui bisbilhotando seu blog...
Sacha

PROFESSORA ELISABETE MORAES disse...

Lygia,
Que texto bonito. Revivi a minha infância ao passear pelo seu discurso. lembrei muito da mamãe, da festa que ela fazia quando estávamos todos juntos no interior de Alagoas.
Puxa, que saudade!!!!

Beijo, Lygia.

Fatima Cristina (www.fccdp.com) disse...

Também tenho lembranças de reuniões e natais como o seu. Na casa da vó!
Lembro também o passado com muita alegria. Abraços, Fatima

Layra disse...

Tia Lygia,

Lendo o texto é impossível não recordar das minhas férias inesquecíveis na sua casa. Onde a Vovó Lygia fazia todos os gostos das netinhas Layra e Eloá. Foram inúmeros os momentos tão felizes que passei na casa de “Vó” e levarei para sempre em minha memória onde quer que eu esteja.
Saudades...mtas saudades
Beijos,

Layra Fernandes